A segurança de trabalho na pecuária é um assunto sério. Se uma fazenda deseja alcançar resultados melhores, é preciso utilizar boas práticas e respeitar as legislações existentes.

Entretanto, alguns fazendeiros enfrentam dificuldades na hora de dialogar com a equipe ou encontrar bons parceiros. Todo cuidado é pouco, pois qualquer acidente coloca em risco a saúde do funcionário, a produção da fazenda e a reputação da empresa.

Portanto, você precisa dominar o assunto, certo? A leitura deste conteúdo o ajudará a entender mais sobre as melhores técnicas e como evitar os principais riscos. Vamos lá?

Por que a segurança de trabalho na pecuária é importante?

Multas, produção parada e estresse são apenas alguns exemplos das consequências dos acidentes em fazendas. Isso quer dizer que a segurança no trabalho é uma prioridade para o negócio que deseja melhorar sua performance.

Além de evitar problemas, a segurança mantém a integridade física e psicológica de cada funcionário. Ao estabelecer um planejamento adequado, é possível garantir o respeito às leis trabalhistas, ter colaboradores felizes e oferecer melhores condições de trabalho.

No final das contas, sua gestão no campo se torna estável e tem maior tranquilidade para crescer no mercado. Lembre-se de que os consumidores estão cada vez mais exigentes. Isso quer dizer que muitas pessoas querem saber do ambiente interno de um negócio antes de fechar qualquer contrato.

Que riscos podem afetar a saúde do trabalhador rural?

Segundo o Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho e o Anuário Estatístico da Previdência Social, acontecem aproximadamente 34 mil acidentes por ano no setor de exploração agropecuária em nosso país.

Cada acidente representa perdas humanas, financeiras e produtivas em uma fazenda. Dessa forma, é essencial conhecer os principais riscos e as suas consequências, sendo a falta de equipamentos de qualidade um ponto muito importante.

A improvisação de materiais ou o uso incorreto de itens de proteção coletiva e individual abrem brechas para problemas e dores de cabeça. A falta de luvas, por exemplo, é algo muito grave quando são utilizadas ferramentas cortantes e até agentes químicos.

A seguir, confira os principais riscos existentes em uma fazenda.

Físicos

O trabalhador rural, em muitos casos, fica exposto à radiação solar durante várias horas. Infelizmente, alguns produtores não se preocupam com isso — e os membros da equipe podem sofrer câimbras, desidratação ou, em situações mais sérias, câncer de pele.

Não para por aí: ruídos altos e frequentes vibrações causadas pelas máquinas também merecem todo o cuidado.

Químicos

O uso de fertilizantes e produtos químicos gera discussão em nosso país, principalmente porque esses materiais causam danos à saúde humana. Por mais que eles ajudem a controlar pragas, por exemplo, é essencial proteger os olhos, a boca, o nariz e a pele.

Mecânicos

Colheitadeiras e tratores são exemplos de máquinas que causam risco mecânico no campo. Essas ferramentas agrícolas têm peças e mecanismos que, quando manuseados incorretamente, provocam acidentes graves, inclusive com o gado. Coices, cabeçadas e mordidas geram danos ao ser humano e precisam ser evitados.

Organizacionais

Um ambiente de trabalho estressante e inseguro transforma uma fazenda em uma bomba-relógio. Por mais que essa comparação pareça estranha, as tarefas rurais são repetitivas e cansativas.

Portanto, se o trabalhador não estiver preparado, disposto e descansado, qualquer descuido pode ser fatal. Dores musculares causam disfunções sérias e problemas de relacionamento impactam o psicológico da equipe.

Biológicos

Os riscos biológicos são provocados pela presença de animais peçonhentos, agentes causadores de doenças infecciosas ou respiratórias e pólen.

Quais são as 3 melhores dicas para garantir a segurança da equipe rural?

Agora, chegou o momento ideal para você entender como colocar em prática a segurança de trabalho na pecuária de uma vez por todas. Confira os próximos tópicos!

1. Respeite as legislações

A Norma Regulamentadora (NR) 31 foi criada especificamente para a atuação no campo, considerando os trabalhos de agricultura, pecuária, silvicultura, exploração florestal e aquicultura. Portanto, ela deve guiar suas decisões.

Assim como todos os outros documentos, essa legislação determina medidas de prevenção de acidentes e proteção do ambiente. Suas exigências contemplam várias questões, como:

  • descarte correto de resíduos;
  • princípios ergonômicos;
  • práticas indicadas para manuseio e armazenamento de ferramentas;
  • características de construções e projetos de engenharia.

Lembre-se de que outras NRs também devem ser consideradas de acordo com as atividades realizadas, ok?

2. Treine a equipe

O mercado agrícola sofre diversas transformações. Tecnologias surgem com o passar do tempo, como os novos tipos de arames e drones.

Um profissional que deseja extrair o máximo da fazenda deve se preparar para adotá-las em sua rotina — e o treinamento da equipe, visando à segurança, é um fator fundamental para isso. De nada adianta usar técnicas modernas se o colaborador não conhece as medidas de prevenção de acidentes e redução de danos, por exemplo.

Portanto, você deve promover treinamentos e criar um ambiente aberto ao diálogo. Mostre a importância de todos para o alcance das metas e deixe claro que o bem-estar do trabalhador é uma das características principais de sua gestão.

Acompanhe as tendências do mercado e participe de feiras, eventos ou palestras sobre a inovação no campo também. Ao tomar essa atitude, você dá o exemplo e consegue cobrar uma postura mais eficiente de sua equipe.

3. Forneça Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados

De acordo com o Ministério do Trabalho, o uso de EPIs é uma obrigação nas propriedades rurais do Brasil. Cada atividade tem requisitos diferentes, por isso você deve analisar as legislações e, até mesmo, consultar um especialista no assunto.

Abaixo, confira uma lista com os principais equipamentos utilizados em fazendas:

  • máscara protetora;
  • capacetes;
  • calçados de segurança;
  • óculos de proteção;
  • luvas;
  • protetor auricular.

A partir de agora, você sabe como tornar a segurança de trabalho na pecuária uma realidade em sua fazenda, não é? Coloque em prática as dicas acima e veja como é possível ter um ambiente mais produtivo e seguro.

Tenha em mente também que o uso de ferramentas e insumos de qualidade, o treinamento da equipe e o respeito às legislações devem guiar o seu planejamento.

Gostou deste artigo e quer ficar por dentro das novidades do agronegócio? Assine nossa newsletter e receba os próximos conteúdos diretamente em seu e-mail!