O Brasil é o maior exportador de carne bovina do mundo e o segundo maior produtor. Essa colocação foi alcançada graças ao empenho dos produtores, que uniram as inovações tecnológicas com boas práticas de manejo animal. Entre essas condutas, o cuidado com o gado é um dos pontos mais importantes para a produtividade do negócio.

Entretanto, proporcionar o bem-estar aos animais também é uma questão de moral e de princípios éticos. E os consumidores de hoje já não são os mesmos de anos atrás — eles estão mais exigentes com a qualidade do produto, mas estão igualmente atentos à maneira como os animais são tratados nos criadouros.

Mas de que forma o conforto animal influencia na qualidade da carne? E como as práticas de manejo animal estão ligadas ao aumento da produtividade da fazenda? Continue conosco e entenda! Boa leitura!

O conforto animal como base para o bom funcionamento do negócio

O conceito de bem-estar animal surgiu na década de 1960 e se refere ao estado de saúde física e mental, quando ele se encontra em harmonia com o ambiente em que vive. Os pilares dessa ciência falam sobre os animais terem:

  1. liberdade psicológica: ausência de medo, estresse e ansiedade;
  2. liberdade fisiológica: ausência de sede e fome;
  3. liberdade sanitária: ausência de enfermidades e injúrias;
  4. liberdade ambiental: ausência de desconforto físico e térmico;
  5. liberdade comportamental: oportunidade para expressar seu comportamento natural.

Antigamente, os rebanhos eram criados em pastos sujos (que diminuía o status sanitário) e comandados com métodos que faziam com que sentissem medo. Hoje em dia, esses procedimentos não são mais utilizados, pois o produtor entendeu que, quanto melhor forem as condições oferecidas ao gado, melhor será a sua performance.

A relação entre conforto animal e a qualidade da carne

O raciocínio é simples: o animal que está bem produz melhor. Quando estão sujeitos a qualquer condição estressante, os bovinos liberam uma grande quantidade de hormônios (como adrenalina e cortisol). O desequilíbrio hormonal causa uma série de alterações metabólicas que terão efeito direto na formação de seus músculos.

Há um gasto energético muito grande para que se reestabeleça o equilíbrio corporal, e isso afeta a coloração, a textura e o sabor da carne. Portanto, aliar uma alimentação balanceada com o controle sanitário e um tratamento pacífico é a melhor forma de aproveitar e direcionar todo o potencial produtivo dos animais.

Uma das maiores autoridades em bem-estar de bovinos é a americana Mary Temple Grandin, que revolucionou a maneira como o gado é tratado. Ela percebeu que conhecer e respeitar a biologia do comportamento dos animais faz com que toda a cadeia produtiva funcione com constância e estabilidade.

O seu trabalho serviu como base para a criação dos currais antiestresse, que são construções voltadas para minimizar os fatores que causam distrações e pânico aos animais. Assim, as estruturas são circulares (evitando o pisoteio), possuem paredes laterais estreitas (o que os acalma) e piso antiderrapante (o que evita o desespero que sentem ao escorregar).

Os cuidados com o gado e a manutenção do status sanitário

A diminuição do estresse do rebanho é muito importante, também, quando o assunto é a saúde e a integridade física dos animais. Os bovinos que não sofrem lesões, tanto em campo quanto em confinamento, têm menos chances de desenvolverem infecções. Além disso, a vacinação do gado é indispensável para evitar a propagação de doenças e assegurar o status sanitário da propriedade — fator que abre as fronteiras com o mercado exterior.

Ao serem vacinados, os animais precisam estar descansados, uma vez que o medicamento aplicado em condições estressantes tem pouca ou nenhuma eficiência. Se os bois não estão tranquilos, o corpo deles reage à introdução da seringa formando nódulos nos músculos que, por sua vez, impedem a ação da vacina.

A influência da precocidade do gado nas características do produto

A velocidade com que o gado atinge a puberdade também é um fator crucial para a qualidade da sua carne. Ao chegar nesse estágio de desenvolvimento, o crescimento ósseo cessa e se intensifica a formação da capa de gordura na carcaça. Quanto mais jovem for o animal, mais cedo ele inicia essa produção e mais espessa será essa capa protetora.

A faixa de gordura que envolve a carcaça é importante, pois ela funciona como um isolante térmico na câmara frigorífica, diminuindo a velocidade do resfriamento da peça. Esse processo evita a desidratação, o escurecimento e a rigidez da carne, garantindo, assim, as características que o consumidor busca: coloração vermelha viva, suculência e maciez.

O abate humanitário e a sua conexão com a qualidade da carne

Os cuidados com o gado devem ser estendidos para além dos limites da fazenda e serem mantidos, também, na indústria frigorífica responsável pelo processamento da carne. Como foi dito, qualquer situação que coloque o animal em estresse provoca alterações na liberação de hormônios que vão influenciar diretamente na qualidade da carne.

Quando o animal tem o tratamento adequado durante o pré-abate, o pH da carne cai gradualmente, caso contrário, o pH se mantém alto, resultando em uma carne DFD (sigla em inglês para escura, firme e seca). Sendo assim, o abate humanitário, que visa diminuir ao máximo o estado de inquietação do rebanho, é uma prática fundamental para manter os atributos da carne que foram minuciosamente trabalhados por meio do manejo racional em campo.

Ao chegarem aos frigoríficos, os bois precisam passar por um período de descanso, extremamente importante após a tensão que sofreram no transporte e, a seguir, é feita a sua higienização. Em currais projetados para que não percebam a morte próxima, eles são desestabilizados por meio da pistola de ar e mantidos inconscientes até que a degola finalize o processo.

Uma propriedade agropecuária sustentável é aquela que consegue unir o respeito aos animais, a consciência ambiental e a satisfação da sua equipe de funcionários. Um local de trabalho onde todas as etapas de produção são realizadas com sabedoria e tranquilidade verá os reflexos na qualidade da carne e terá sua produtividade aumentada naturalmente.

Gostou da leitura? Nosso artigo sobre a importância dos cuidados com o gado foi interessante e esclarecedor para você? Então nos siga no Facebook, Instagram e YouTube, para continuar recebendo mais informações como essa!