Todo produtor sabe da extrema importância que a demarcação de limites tem em qualquer propriedade de campo, tenha ela a finalidade que tiver. Independentemente de ser elétrica ou convencional, ou ser construída com arame farpado ou ovalado, o que se espera de uma cerca rural é resistência e durabilidade. Entretanto, muitas questões são deixadas de lado na hora de escolher o produto, o que pode gerar frustrações e despesas extras ao produtor.

Para que uma fazenda tenha bons resultados e alta rentabilidade, o empreendedor precisa estabelecer metas detalhadas sobre todas as necessidades da propriedade. Porém, esse planejamento somente será estratégico e eficiente se for pensado em longo prazo, com ponderações sobre o custo-benefício dos produtos e insumos utilizados nas inúmeras atividades do campo.

Mas como, então, instalar e manter em bom estado de conservação uma cerca rural? O que faz uma cerca ser mais eficiente e como o produtor pode obtê-la em sua propriedade? Essas perguntas serão respondidas neste artigo. Continue a leitura e entenda!

Como instalar uma cerca rural convencional?

Não existe uma metodologia padrão para instalar uma cerca em uma propriedade rural. A maneira que se constrói essa estrutura depende muito das tradições transmitidas de geração em geração, dos costumes locais, dos hábitos do cerqueiro profissional, das indicações do fabricante e, também, das condições financeiras do ruralista.

Por outro lado, existem diversas formas de errar durante a instalação de uma cerca convencional. E é por isso que o importante é que se conheçam boas práticas — e não necessariamente um método — para que a cerca cumpra o seu papel na fazenda e atinja os objetivos do produtor, sem causar a ele dores de cabeça no futuro.

Mas então, surge a dúvida: o que faz uma cerca ser estável e resistente? Desconsiderando a influência dos fatores ambientais, tais como chuvas, umidade da região e salinidade do solo, podemos dizer que a estabilidade e a durabilidade de uma cerca rural passam por três elementos:

  • distância entre os mourões;
  • sarrafos (pequenas vigas) entre os mourões;
  • material de fabricação em conjunto com a finalização do arame.

Para entender a relação entre cada um desses componentes, vamos discuti-los com mais detalhes nos próximos tópicos.

Qual a relação entre os balancins e a estabilidade da cerca?

Os mourões são a base de qualquer cerca. Feitos de madeira ou aço, eles são as estacas que sustentam a estrutura de forma geral. Nas fazendas brasileiras, os mourões de madeira são os mais comumente utilizados e despendem gastos consideráveis aos produtores. Porém, nem só de mourão vive uma cerca.

Entre esses postes são dispostas alguns sarrafos, que dão mais sustentação e firmeza aos arames e à cerca. Esses sarrafos são, geralmente, ripas mais finas de madeira colocadas em distâncias iguais, cuja quantidade varia de acordo com o comprimento do cercado.

Os balancins (ou distanciadores), por sua vez, substituem essas ripas de madeira e têm uma grande importância na confecção das cercas, pois permitem aumentar a distância entre os mourões — de 2,5 para 8 m — e diminuir, consequentemente, a quantidade deles, diminuindo também o custo da cerca, já que há menor valor com mão de obra e com o material (madeira encarece a cerca), além de menos gastos futuros, pois os balancins duram muito mais do que a madeira.

Ao escolher estruturas intermediárias feitas de aço, o produtor atesta que está ponderando suas escolhas com base na economia imediata, uma vez que até 40% do custo da cerca é reduzido com a utilização deste material. Contudo, também mostra cuidado com a economia gerada em longo prazo, visto que não precisará trocar os sarrafos deteriorados pelo tempo.

Os balancins da Taura são fabricados com aço de alta qualidade, têm uma trança firme e tripla camada de zinco. A tripla galvanização dá maior durabilidade ao produto em comparação aos materiais comuns, pois ela protege e retarda a oxidação do aço em até três vezes.

Uma das grandes vantagens do uso dos distanciadores da Taura é a possibilidade de reutilização do produto. A sua trança forte e a maneira como eles são instalados nos arames dispensa totalmente o arremate fio a fio (prática essa que eleva consideravelmente o tempo de instalação da cerca rural e condena os balancins a apenas um uso). O encaixe e o trançado do Taura Balancim Zn+ é diferente e faz com que ele se mantenha firme no fio, sem correr de um lado para o outro.

Taura Balancim Zn+ é uma escolha acertada pela economia que traz ao homem do campo. A alta qualidade do seu material e a sua fácil instalação garantem o retorno de investimento por pouparem tempo e quantidade necessária de produtos e, também, por oferecerem resistência e durabilidade.

Qual a relação entre o arremate e a durabilidade da cerca rural?

Uma questão importante a tratar é o acabamento da cerca. Muitos fabricantes indicam a charrua curta no arame. Porém, a Taura recomenda o arremate longo (cerca de 1 m), pois a finalização curta provoca maior aquecimento do aço, o que facilita a sua quebra. Além disso, o acabamento curto remove uma parte da camada de zinco, podendo acelerar o processo de ferrugem do arame.

O arremate longo no fio de aço tem a mesma segurança e característica mecânica (travamento) do arremate curto e, ainda, preserva a camada protetora de zinco e prolonga a vida útil da cerca como um todo.

Por que utilizar o arame Barretos Multiuso Zn+ na cerca rural?

Como dito anteriormente, a qualidade do arame escolhido para montar a estrutura influencia diretamente na estabilidade e na vida útil da cerca rural. O arame Barretos Multiuso Zn+ é fabricado com matéria-prima de excelente qualidade: o alto teor de carbono deixa o fio mais forte e resistente, mesmo com espessura mais fina.

Além disso, a tecnologia empregada na Taura inclui, no processo de fabricação, elementos químicos especiais que conferem a maleabilidade adequada ao fio de aço, tornando-o mais maleável e menos quebradiço na hora de instalar. O arame Barretos Multiuso Zn+ pode ser comparado aos fios de uma teia de aranha (que são finos, porém o material é o mais resistente do mundo) ou, ainda, à evolução das chapas dos veículos: antes grossas, pesadas e pouco resistentes, hoje finas, leves e mais seguras.

Outro grande benefício é a tripla camada de zinco. A Taura garante que seu produto dura até três vezes mais do que os outros arames comuns disponíveis no mercado. Essa qualidade é facilmente comprovada com o teste de sal, realizado por nossos especialistas junto ao cliente.

Como você pode perceber, é fundamental escolher produtos de qualidade e fornecedores de confiança para instalar a cerca rural em sua propriedade, pois a sua preservação garante segurança, economia e tranquilidade ao fazendeiro. A Taura conhece os desafios enfrentados pelos pecuaristas brasileiros e, por isso, traz — pensando nas suas particularidades — as melhores práticas de manejo de gado utilizadas no exterior.

Nosso conteúdo foi útil e informativo para você? Gostaria de se aprofundar mais sobre a qualidade dos nossos produtos ou esclarecer dúvidas que possam ter surgido? Então não perca tempo! Entre em contato conosco e converse com um de nossos especialistas. Teremos prazer em atendê-lo!